Picture

O que é Levedo de Cerveja   O levedo de cerveja é um fermento inativo resultante do processo de fermentação da cevada durante a produção de cerveja. O levedo de cerveja é uma das maiores fontes naturais de vitaminas do complexo B e de proteínas, com a vantagem de não possuir colesterol e gordura, característicos das proteínas de origem animal. O levedo de cerveja contém alto teor de proteínas, fibras e vitaminas.   A levedura de cerveja é um alimento precioso e um remédio milenar. Já assim a considerava Hipócrates, o “Pai da Medicina”, bem como os monges das confrarias medievais, que a empregavam nas curas de muitos males, principalmente nas chagas e furunculoses.   As leveduras são fungos ascomicetos, cogumelos microscópicos, que se multiplicam ordinariamente por gemação, conformando, assim, longas fiadas de células (cada uma é um ovóide com a dimensão de 8 a 10 milésimos de milímetro), como as contas de um rosário. O género Saccharomyces compreende várias espécies, de que uma das principais é a levedura de cerveja (saccharomyces cerevisae). É, de longe, a mais apreciada e a mais rica em termos alimentares. Provindo do malte, assegura as proteínas necessárias e completas em todos os aminoácidos, sendo, por isso, ideal para os que não se alimentam de carne.   Qual a função do Levedo de Cerveja   O Levedo de Cerveja tem muitas funções no organismo, mediadas por seus componentes, que são muitas vitaminas e aminoácidos essenciais para o corpo humano.   A levedura de cerveja é rica em proteínas (45 a 50%) muito digeríveis, possuindo todos os aminoácidos indispensáveis à vida (histidina, arginina, lisina, triptofano, alanina, leucina, isoleucina, cistina, cistaína, glicina, ácido aspártico, ácido glutâmico, fenilalanina, treonina, metionina, tirosina, valina, prolina, serina, etc), glúcidos, auxonas (complexo T), vitaminas (sobretudo do grupo B) e minerais (principalmente fósforo, ferro 3, potássio, cálcio, magnésio, silício, cobre, zinco, selénio, crómio, alumínio). Possui, igualmente, em quantidades consideráveis, lípidos (5 a 20%: estearina, palmitina, ácido aracínico), lecitinas, numerosos esteróis (os principais: ergosterol 4 e zimosterol), enzimas ou diástases (zimases, invertina, maltase, fosfatases, etc). No que concerne ao teor vitamínico, é considerada a maior e melhor fonte conhecida. Como já dissemos, é riquíssima em complexo B, fator essencial da respiração e nutrição celulares e, assim, da manutenção do equilíbrio orgânico. Vale a pena, pois, determo-nos no seu quadro de vitaminas e factores vitamínicos: • B1 (aneurina ou tiamina) – protectora e equilibrante do sistema nervoso e de enorme importância no metabolismo dos glúcidos (registam-se 8 a 15mg por 100gr de levedura).
• B2 (riboflavina ou lactoflavina) – factor de crescimento, favorece a respiração celular e regenera a flora intestinal (3,5 a 8mg).
• B5 (ácido pantoténico) – de grande valia para o fígado, os epitélios, as mucosas respiratórias e digestivas (útil nas alergias). A carência produz dificuldades na atenção e na concentração mental, dores de cabeça, transtornos do sono, cãibras musculares e baixo rendimento energético geral. Ajuda a promover o crescimento e a pigmentação dos cabelos, e a cicatrização das feridas, sobretudo no campo da cirurgia (12 a 25mg, 8 vezes mais do que igual conteúdo de cereais).
• B6 (adermina ou piridoxina) – factor de crescimento, estimulante muscular, favorece a formação de glóbulos vermelhos, protege a pele. Intervém na função adreno-cortical e no metabolismo do enxofre e das purinas. É antagónica à histamina, sendo, por isso, útil nas doenças alérgicas (3 a 10mg, 10 vezes mais do que em igual conteúdo de carne).
• B9 (ácido fólico) – factor de crescimento e anti-anémica; nutriente do sistema nervoso. É muito necessária na gravidez (0,005 a 0,13mg, 20 vezes mais do que igual conteúdo de farelo de trigo).
• B12 – intervém activamente na hematopoese (formação dos glóbulos sanguíneos) (não dispomos de valores tabelares).
• B15 – facilita o aporte de oxigénio a todos os tecidos. Ajuda na síntese das proteínas. Estimula o sistema imunitário. É um protector hepático e combate o colesterol (não dispomos de valores).
• BX (ácido paraminobenzóico) – é importante na boa utilização das proteínas. Mantém, e em alguns casos recupera, a pigmentação capilar, bem como a elasticidade da pele. Promove a expectoração e é balsâmica nas inflamações do tracto urinário. O seu défice pode causar eczema (0,03 a 0,55mg).
• PP (nicotinamida) – anti-pelagra, importante para a assimilação dos amidos e gorduras, intervém na formação do sangue e na função dos nervos (30 a 80mg, 10 a 20 vezes mais do que igual conteúdo de carne).
• Biotina – protectora da pele, anti-seborreica, importante no equilíbrio do crescimento e do sistema nervoso (2 a 7,5mg).
• Colina – tem acção fisiológica sobre a pressão sanguínea, como antagonista da adrenalina, e na regulação dos movimentos peristálticos do intestino. Opõe-se à sedimentação de gordura a nível hepático, sendo útil nas cirroses (0,1 a 1,2mg).
• Inositol – tem papel determinante e regulador na reprodução celular, sendo anti-cancerígeno. Combate a alopecia (queda dos cabelos). Contribui para um crescimento equilibrado. Intervém na actividade lipotrópica e na motilidade intestinal (80 a 160mg).
• Ergosterol (provitamina D) – está intimamente ligado com a vitamina D, auxiliando na boa fixação do cálcio e do fósforo de origem alimentar. É importantíssimo na formação dos ossos e dentes e para a manutenção das suas estruturas. Tem papel na conservação do tónus muscular e na contracção dos músculos (não dispomos de valores).
• E – é fundamental na manutenção da integridade dos tecidos da reprodução (ovários, testículos), bem como da musculatura e vasculares. É anti-esterilidade e anti-abortiva (conteúdo elevado, embora não disponhamos de valores).
• Complexo T – promotor do crescimento, útil na anorexia infantil, doença celíaca, osteoporose e raquitismo (não dispomos de valores).
Uma vez que a levedura de cerveja é invulgarmente rica em aminoácidos fundamentais, julgamos útil reproduzir aqui as características básicas que lhes são referentes 5:
• Arginina – tem papel preponderante na libertação das hormonas de crescimento, intervindo no desenvolvimento muscular e na redução de gordura no organismo. Tem, paralelamente, uma importante acção como retentora do nitrogénio, essencial para o crescimento dos músculos.
• Lisina – é igualmente útil na libertação das hormonas de crescimento e utilizada para favorecer o crescimento proporcional em crianças extremamente pequenas. Actua na produção da carnitina, a qual tem a propriedade de “queimar” as gorduras em excesso no organismo. Mostrou-se, ainda, útil na prevenção dos vírus de Herpes Zoster.
• Tirosina – é um derivado do aminoácido fenilalanina. É um precursor da hormona adrenocortical, assim como da dopamina. Actua na actividade mental.
• Fenilalanina – estimulante da memória e da capacidade cognitiva, bem como da funcionalidade sexual. Revelou-se útil nos tratamentos anti-depressivos. Tem efeitos analgésicos.
• Histidina – tem vindo a ser utilizada no tratamento da artrite reumatóide. Igualmente, revelou resultados positivos no combate às situações alérgicas. Conjuntamente com a niacina e a piridoxina, sugere ter efeito estimulador a nível da actividade sexual.
• Ácido aspártico – intervém na síntese das glicoproteínas, além de desempenhar um papel na formação de glicose (conversão de hidratos de carbono, glucose, etc). Parece, ainda, incrementar a capacidade de resistência dos atletas.
• Treonina – intervém nos processos digestivos, designadamente na função intestinal e no metabolismo dos lípidos ao nível hepático.
• Cisteína – é um poderoso anti-oxidante que ajuda a proteger o organismo contra as bactérias, vírus, químicos e radiações nocivos. Promove a saúde capilar e a das unhas, acelerando o seu crescimento.
• Valina – intervém determinantemente na actividade mental, na coordenação dos músculos e no equilíbrio emocional.
• Metionina – é fundamental para a síntese da carnitina e tem um importante papel no sistema glandular. É anti-tóxica.
• Serina - é essencial no funcionamento do cérebro.
• Ácido glutâmico – é o único aminoácido capaz de transpor a barreira entre o sangue e o cérebro. É geralmente utilizado nos tratamentos anti-depressivos, diminuição da memória, senilidade, esquizofrenia, alcoolismo e muitas outras desordens cerebrais (é comum referir que o ácido glutâmico é o combustível do cérebro).
• Isoleucina – é interveniente no funcionamento cerebral.
• Glicina – experiências revelaram existir grande concentração de glicina na pele e tecido conjuntivo. Crê-se que seja beneficamente interveniente na regeneração destes tecidos, bem como no crescimento dos músculos.
• Alanina – tem uma acção directa na redução do colesterol, particularmente quando associada com a arginina e a glicina. Contribui para a regulação dos níveis de açúcar no sangue.
• Prolina – é um dos principais componentes do tecido conjuntivo que liga e suporta todos os outros tecidos (colagénio). Ajuda a combater a flacidez associada ao envelhecimento. Intervém beneficamente nos processos de cicatrização.
Alumínio: Oligoelemento biocatalítico da insônia e da fraqueza. Atua nas funções centrais como: Perturbações do desenvolvimento intelectual, particularmente nas crianças, em certos casos das perturbações do sôno, sobretudo em pessoas ansiosas.
Cálcio: Na sua forma catalítica, tem uma ação diferente do cálcio em doses elevadas. Aconselha-se durante a aleitação para ambos, crescimentos, osteoporose, raquitismo, reumatismo, cárie dentária (associado com flúor).
Cobalto: Regularizador do sistema neuro-vegetativo indicado na hipertensão onde este mineral atua no fator nervoso, palpitação, angústia, enxaqueca e também diostúrbios psíquicos do tipo ansioso.
Cobre: Indicado nos estados infecciosos e inflamatórios e dqas doenças por vírus. Reforça os meios de defesa do nosso organismo.
Cromo: Essencial ao metabolismo dos lipídeos e dos glicideos. A sua carência iduz um diabetes com arterioesclerose. Indicado em dose fraca na diabetes e doenças da nutrição.
Enxofre: Deve ser sistematicamente associado a todos os tratamentos de afecções cutâneas, porque é um dessensibilizador universal, nomeado nos casos e acne, eczema e urticária.
Fósforo: Antiespasmódico que trata distúrbios musculares, além disto é um diurético. Em alguns casos utiliza-se como modificador de terrno, como: Espasmos respiratórios, distrofias ósseas, coqueluche.
Iodo: Regularizador ao funcionamento da glândula tireóide, sem risco de iodismo, aumenta a taxa de tiroxina. Na pediatria é indicado nos distúrbios de crescimento.
Lítio: Tem dois domínios de ação: Atua nas funções eliminatórias pelas vias urinárias como a uréia e o ácido úrico. Preciosamente no tratamento dos distúbios psíquicos, nervosismo, depressão, agitação, perturbação do humor e do comportamento, do caráter em qualquer idade e psico-dermatose.
Magnésio: Catalisador das funções fisiológicas, atua nas perturbações funcionais intestinais. É indicado em certas dores reumáticas do tipo nevrite.
Manganês: Antialérgico universal, indicado nos casos de asma, erupções, nevralgias e enxaquecas.
Selênio: Provoca modificações importantes no metabolismo orgânico. Sob o seu efeito o volume da urina aumenta; possui uma afinidade com os ossos, os pulmões, as glândulas genitais e a supra-renal, prostatismo, rehidrata a pele e é cicratizante.
Vanádio: Desenpenha um papel nos processos de calcificação. Estimula a hematopoiese. É um inibidor da síntese do colesterol, de onde vem o interessa nas doenças vasculares.
Zinco: É uma coenzima importante e um ativador das funções genitais e das glândulas endócrinas. Indicado para o atraso de crescimento, hipermenorréia, impotência, menopausa e psoríase.

 Benefícios do Levedo de Cerveja Está particularmente indicada nos casos de diabetes (devido ao alto teor em glutatião - um péptido sulfurado (composto de ácido glutâmico, cisteina e glicocola), que exerce ação preponderante em todos os fenômenos biológicos e, em particular, nas reações de oxido-redução, nos processos de desintoxicação e de resistência às infecções), furunculose, acne e demais problemas de pele, gravidez, anemias, atrasos de crescimento e desenvolvimento, afecções do sistema linfático (intoxicações e infecções), arteriosclerose, doenças artríticas e alcoolismo. É um excelente reconstituinte e protetor do sistema nervoso. Possui ação reguladora das glândulas endócrinas, como a tiróide, o pâncreas, as supra-renais, as gônadas. É um tônico geral cardíaco e circulatório. Favorece a assimilação dos alimentos, equilibra e regenera a flora intestinal e é um notável protetor hepático (indicada nos estados pré-cirróticos e nas degenerescências adiposas do fígado). É muito adequada aos desportistas, aumentando-lhes a resistência, favorecendo o trabalho muscular e promovendo a eliminação de toxinas residuais. Fontes de Levedo de Cerveja Como alimento, usa-se misturada nas saladas, nas sopas, nas hortaliças estufadas, fritas ou cozidas (cerca de uma colher de sobremesa, para crianças; uma ou duas das de sopa, para adultos). Emulsionada em azeite pode barrar fatias de pão, substituindo, com vantagem, o queijo ou a manteiga. Também encontrada no farelo de cereais, na gema de ovo, no melaço de cana, e nas leguminosas secas.Existe, à venda, levedura isenta de sódio, para as dietas sem sal. Para manter a sua integridade, não deve ser cozinhada, mas, sim, misturada nos outros alimentos, “em cru”, ou pode polvilhar-se, como se faz com o queijo ralado.Existe uma opção comercializada em comprimidos ou cápsulas, que também tem grande aceitação na prescrição de várias enfermidades. Contra-indicações do uso de Levedo de Cerveja Não foi encontrado nada na literatura que contra-indicasse o uso de levedo de cerveja. Porém, são necessários mais estudos sobre o assunto.  É necessário ciclar ou alternar o uso de Levedo de Cerveja Não há indicações na literatura sobre a necessidade de ciclar o uso de levedo de cerveja, porém dependendo do motivo de sua utilização, existe uma posologia diferente para cada situação.

Fontes:
www.saudenarede.com.br
www.drashirleydecampos.com.br

Obs: Nenhuma das postagens ou indicações deste site substitui orientação médica/terapeutica/nutricional.




 
 
This is your new blog post. Click here and start typing, or drag in elements from the top bar.
Picture

O Óleo de Linhaça  é um notável antioxidante e imunoestimulante, previne doenças degenerativas, cardiovasculares e apresenta excelentes resultados no tratamento da tensão pré-menstrual e menopausa e na redução dos riscos de câncer de mama, próstata e pulmão. O óleo de Linhaça contém Lignana, uma substância responsável pelo restabelecimento do Hormônio Sexual, estrogênio que cai bruscamente na menopausa.
A Lignana é também precursora dos Hormônios Enterodiol e Enterolactona.
Para quem não gosta do óleo de peixe como fonte de Ômega 3 , o Óleo de Linhaça é uma ótima opção, e é de origem vegetal.
Apresenta os ácidos graxos essenciais (55% de Ômega 3 , 14,5% de Ômega 6 e 18,6% de Ômega 9).. A “Ratio” ideal entre Ômega 3 e Ômega 6 é de aproximadamente 1:4, neste óleo encontramos a relação de 1:3, muito próxima da ideal.
A presença balanceada dos ácidos graxos Ômega 3 / Ômega 6 facilita a produção das prostaglandinas que são corpos biologicamente muito ativos e importantes. Presentes em todas as células e construídas por elas a partir dos ácidos graxos mono e poliinsaturados, participam do processo de manutenção do equilíbrio hormonal.
Na industria cosmética e farmácias de manipulação, o óleo de Linhaça tem sido utilizado para tratamento de Eczema , Acne e Dermatite Atópica. Tem excelente poder cicatrizante.
Recomenda-se o consumo máximo de 2 a 3g/dia
( 1 colher de sobremesa).1g eqüivale a 9cal.
Devido ao alto teor de Ácido Graxos poliinsaturados o óleo de Linhaça deve ser armazenado após aberto em refrigerador.
Este produto pode ser utilizado por adultos e crianças, em moderadas doses diárias.

COMPOSIÇÃO MÉDIA DOS ÁCIDOS GRAXOS ESSENCIAIS EM 100 ML
Ácidos Graxos Poliinsaturados:
Ácido Alfa Linolênico (ÔMEGA 3)....55.4%
Ácido Linoléico (ÔMEGA 6) ....14.5%
Ácido Gama Linolênico....0.2%
Ácidos Graxos Monoinsaturados:
Ácido Oléico (ÔMEGA 9) ....18.6%
Ácido Palmitoléico (ÔMEGA 7)
Ácidos Graxos Saturados:
Ácido Palmítico ....6.1%
Ácido Esteárico....4.9%;
Vitamina E...0.1%

O que a Linhaça tem?
Não faça confusão com óleo de linhaça comestível extraído à frio e os óleos destinados à pintura que que são tóxicos.
Na América do Norte e nos países europeus, seu uso é tão difundido que se acha facilmente óleo de linhaça encapsulado ou sua versão engarrafada para regar a comida. Lá fora, já se espalharam os benefícios de seus componentes - uma molécula de nome esquisito, a lignana, e ácidos graxos da famosa família ômega.
Há desenhos da linhaça em tumbas egípcias datadas de antes de Cristo - e, por falar nele, dizem que sua túnica também era feita de linho. Na Idade Média, o vegetal chegou a ser uma espécie de amuleto contra a feitiçaria. Hoje, suas sementes perderam a velha fama de afastar a bruxas. Em compensação, ganham prestígio entre os médicos por serem capazes de mandar para longe uma série de doenças.
“O ácido linolênico presente em suas sementes pode regularizar os níveis de colesterol, ajuda a controlar o açúcar do sangue, diminui inflamações e promove a renovação celular”, observa Regina Mestre, especialista em Medicina Ortomolecular do Rio de Janeiro. “Além disso, elas são um dos alimentos mais ricos em ômega 3 existentes na natureza” , diz ela.
De fato, cerca de 60% do óleo da linhaça é composto de ômega 3 o ácido graxo que evita obstruções nas artérias, contra 30% do óleo salmão, por exemplo. Na opinião da professora Jocelem Salgado, da Universidade de São Paulo em Piracicaba, interior do Estado, diz que: seus ácidos graxos são antioxidantes, isto é, barram as moléculas radicais livres por trás de várias doenças. E ainda há evidências de que reforçam as defesas do corpo. Por fim , o ácido linolênico é empregado na construção de moléculas de hemoglobina, que carregam o oxigênio pelo sangue. Isso é conhecido dos médicos desde a década de 1950.
Cientistas da Universidade Monash, na Austrália, provaram que complementar a dieta com a farinha da linhaça evita os sintomas da menopausa, tumores de mama e de ovário. “Todas as células femininas têm receptores para o hormônio sexual estrogênio” , explica Regina Mestre. “Essa substância cai bruscamente na menopausa e as células se ressentem, deixando de funcionar direito.” A lignana das sementes da linhaça, no entanto, restabelecEm o equilíbrio, ao se encaixar nos receptores do hormônio. “Receito 1 colher de sopa por dia de óleo de linhaça para as minhas pacientes” , conta Regina.
Outra fã ardorosa é a nutricionista Ana Celi de Souza, professora da Faculdade Estácio de Sá, no Rio de Janeiro: “A linhaça faz parte do meu cardápio”, diz.
Segundo Lelington Franco, professor de Fitologia da Universidade Hélio Alonso, no Rio de Janeiro, as sementes também ajudam a limpar o aparelho digestivo. “Com elas, o corpo libera toxinas e gorduras” , diz. Salpicar saladas com as sementes interias resolve ainda a prisão de ventre. Mas, para que os outros componentes benéficos sejam liberados, é preciso moer as sementes e usar 1 ou 2 colheres de sopa da farinha na sua receita predileta de pão ou de bolo.

O Óleo de Linhaça e o Auxilio nos Problemas Psicológicos da Mulher.
TPM - Menstruação Dolorosa - Depressão E Psicose - Pós Parto - Anorexia E Bulimia.
Tradicionalmente, as mulheres escutam que problemas como síndrome pré - menstrual e a menstruação dolorosa são “coisas de cabeça” ou apenas parte da natureza feminina. Poderíamos esperar que, hoje, essas idéias estariam ultrapassadas; mas como Lois Halstead, Ph. D., R.N., mostrou em 1992 (Rush-Presbyterian - St. Luke’s Medical Center , Insights, Vol. 15, No. 2, p.2), ainda exercem grande influência sobre muitos profissionais de saúde. Ela realizou estudo em 100 mulheres com endometriose avançada, um doença física que pode causar cólicas menstruais severas. (A parede uterina cresce para fora do útero). Trinta e sete mulheres contaram que chegaram a consultar sete médicos antes de serem diagnosticadas e que muitos deles afirmavam que as dor “era coisa de sua cabeça” e que elas estavam exagerando.
Como menciono neste livro, os médicos ortomoleculares têm uma aversão geral a diagnósticos no qual todos os sintomas de um paciente estão “em sua cabeça”, não tendo origem em aspectos físicos.
Os desequilíbrios hormonais são um fator importante por trás de alguns “problemas femininos” - fato não questionado pela medicina ortodoxa. Os hormônios , como todas as substancias químicas necessárias ao nosso organismo, são formados por nutrientes. Se cuidarmos do desequilíbrios nutricionais, como conseqüência natural podemos corrigir os desequilíbrios hormonais.
Terapia Ortomolecular para TPM
Tranqüilizantes, antidepressivos, diuréticos, progesterona, anticoncepcionais orais e anfetaminas são algumas das drogas que têm sido usadas para tratar a TPM. “Nenhuma dessas teve os resultados positivos específicos que esperávamos” , afirma a psiquiatra Priscilla Slagle , M.D., Em The Way Up From Doun (p.160).
A Dra. Northup , ao utilizar técnicas nutricionais e holísticas, relata “ uma melhora significativa em aproximadamente 70%” de suas pacientes.
Mudanças Alimentares
A Dra, Northrup pensa que, no caso de algumas pacientes, “coisas simples, como eliminar a cafeína e açúcares refinados da dieta são inacreditavelmente benéficas ; é tudo que elas têm que fazer. para outras, um simples suplemento de vitaminas e minerais aliviará os sintomas”.
“Geralmente recomendo a minhas pacientes de TPM”, afirma Northrup, “que cortem a gordura de usa alimentação. Quase todas as mulheres com esse distúrbio que me procuram têm uma alimentação com aproximadamente 40% de gordura, como a típica dieta americana. Recomenda que reduzam esse percentual a 20%.” As gorduras animais podem contribuir para os altos níveis de estrogênio, que podem agravar a TPM. (Os sintomas da TPM devEm -se, às vezes ao desequilíbrio entre os hormônios estrogênio e progesterona). Porém, a Dra. Northrup afirma: “Todas as mulheres precisam de boas fontes de ácidos graxos essenciais para ter um funcionamento hormonal ideal.”
 Ela recomenda cápsulas de óleo de linhaça ou óleo de prímula (500mg quatro vezes ao dia). Outra recomendação de médicos nutricionais é a substituição da gordura animal pelos óleos de açafrão e gergelim.

A função do Omega 3 e 6 e Vitamina E

Ômega 3 são ácidos graxos polinsaturados importantes para o bom funcionamento do organismo dos seres humanos. São as chamadas gorduras boas. Podem ser de origem vegetal (Ácido Alfa Linolênico) ou animal, produzida por algumas espécies de peixes (Ácido  Docosahexaenóico e Ácido Eicosapentanóico). Benefícios para a saúde:

- Controle da pressão arterial
- Normaliza a circulação sanguínea e o ritmo do coração
- Combate a osteoporose
- Melhora o funcionamento das atividades do cérebro
- Evita doenças auto-imunes
- Dificulta o desenvolvimento de processos inflamatórios
- Ajuda a diminuir os níveis de triglicerídeos no sangue

Ômega 6 são ácidos graxos polinsaturados fundamentais para o bom funcionamento do organismo das pessoas. O Ômega 6, assim como o Ômega 3, faz parte das conhecidas gorduras boas. Não são produzidas pelo organismo e, portanto, devem ser adquiridas através da ingestão de determinados alimentos. Benefícios para a saúde:

- Proteção contra a pressão arterial alta (hipertensão)
- Combate o excesso de colesterol ruim
- Combate o excesso de glicose


A função da Vitamina EA função da vitamina E é promover a fertilidade, prevenir o aborto, atuar no sistema nervoso involuntário, no sistema muscular e nos músculos involuntários. Sua ação é ainda pouco clara, mas alguns autores sugerem que ela é antioxidante, melhora a oxigenação celular, interfere no crescimento e desenvolvimento corporal, favorece o metabolismo muscular e oferece proteção contra o envelhecimento precoce (combatendo os radicais livres) e a agressão da poluição atmosférica. Há quem diga que atua na digestão de gorduras.


Obs: A dose recomendada é de 1,5g do óleo de semente de linhaça em cápsulas, doses maiores que estas podem ser prejudiciais a saúde, estudos demonstram que o excesso de Omega 6 pode provocar Alzheimer e a Vitamina E em excesso provoca seborréia e por conta da mesma proporciona queda de cabelo, acne, oleosidade excessiva.
Nenhuma das postagens desse site, ou indicações substitui orientação médica/terapeutica/nutricional
.

Fontes: www.platamed.com.br
ww.vitalatman.com.br
www.todabiologia.com
www.saudenarede.com.br

 

    Author

    Write something about yourself. No need to be fancy, just an overview.

    Archives

    Junho 2010

    Categories

    All

    RSS Feed